Tecnologia e Brinquedos Eróticos: conexões com autoestima e sexualidade feminina

*Larissa Pombo

 

 

Oi oi de novo, povo sexy.

 

Na edição anterior, começamos a refletir sobre autoestima e sexualidade, e fiz o convite para uma sequência pensando na influência e interferência da tecnologia nisso tudo.

 

Como é um tema bastante extenso, desta vez quero dar aquela pincelada geral pra colocarmos nossas cacholas para funcionar: perceber o que sentimos e sabemos em relação a cada ponto, que reflexões e questionamentos iniciais podemos fazer. E nos próximos capítulos, podemos aprofundar cada aspecto desse. O que acha? Vamos?

 

Larissa Pombo

Alguns dos principais assuntos em relação a essa conversa ampla são:

 

  • O uso da tecnologia e de brinquedos eróticos pode contribuir no processo de ressignificação da relação da mulher com o próprio corpo, com o próprio prazer e também com a intimidade com sua(s) parceria(s) amorosa(s), caso a(s) tenha;

 

  • Essa quebra de tabus, mudanças de comportamentos e pensamentos, tanto individuais, quanto sociais, e questionamentos de questões de gênero e sexualidade, podem proporcionar mais autoconhecimento e melhora da autoestima para as pessoas que se abrem para essas possibilidades e, ao mesmo tempo, aprendem e respeitam seus próprios limites e de quem mais possivelmente está no envolvimento da relação;

 

  • O repensar da masturbação e do prazer feminino;

 

  • Como a pandemia nos afetou e continua nos afetando;

 

  • A reflexão da utilização de aplicativos de relacionamentos, assim como relacionamentos online e à distância, inteligência emocional e relacional, o contato pele na pele, o toque, o olho no olho ao vivo e a cores, e as inúmeras formas de nos estimular afetiva, sensorial, romântica, estética, intelectual, erótica e sexualmente;

 

  • A vasta divulgação de livros e filmes que trazem temáticas em torno de fantasias eróticas, fetiches e saúde ou patologia relacional, como por exemplo, os famosos 50 Tons e 365 DNI (inclusive fiz reviews de ambos em vídeos no meu Instagram e no meu canal do YouTube);

 

  • O acesso a podcasts sobre sexualidade (tanto educativos, quanto de entretenimento), a contos eróticos online, além de grupos, páginas e perfis em redes sociais, sites e internet como um todo;

 

  • Possíveis benefícios e malefícios da pornografia e do bombardeio por conteúdo erótico online no cotidiano;

 

  • E o crescimento da indústria de brinquedos eróticos de diferentes qualidades, preços e estilos, desde mais comuns até mais sofisticados ou de nichos específicos, como acessórios fetichistas e de práticas BDSM por exemplo, em lojas físicas e online.

 

Ufa! Quanta coisa… Espero que esses elementos todos colaborem para pensamentos cada vez mais profundos no seu autoconhecimento e na sua compreensão da nossa sociedade.

 

Que tal da próxima vez mergulharmos de cabeça em algum desses subtemas? Por qual você prefere começar?

 

E claro, caso sinta vontade ou necessidade de aprofundar ainda mais, nesses assuntos e quaisquer outros dentro da sexualidade (que, relembrando,   é muito mais que sexo), entre em contato comigo para marcar atendimentos personalizados online, que podem ser individuais ou com mais pessoas.

 

Você me encontra por aqui: https://linktr.ee/larissa.s.r.pombo.

 

 

*Sexóloga

Especialista em relações peculiares

Celebrando a pluralidade

1 comentário em “Tecnologia e Brinquedos Eróticos: conexões com autoestima e sexualidade feminina”

  1. Eu adoraria saber mais sobre o poder da ressignificação da relação da mulher com seu corpo! Quero ver brinquedos sexuais empoderando as mulheres!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.